28set2017

Reativação de porto paranaense aquecerá mercado de trabalho, defende Yared

Terminal de Antonina registrou recordes de movimentação de cargas e está fechado por falta de condição no tráfego de embarcações. Parlamentar quer ajuda Federal para resolver pendências

A deputada federal Christiane Yared (PR-PR) avançou nas negociações para a liberação do porto privado de Ponta do Félix, em Antonina (PR). Na última quarta-feira (27), em reunião marcada pelo ministro dos Transportes, Maurício Quintella, a congressista se reuniu com os responsáveis sobre o assunto na Secretaria dos Portos e Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ),

A pasta comandada por Quintela se comprometeu a realizar um anteprojeto técnico para levantar a hidrografia da região, que deverá ficar pronto entre 40 a 60 dias. Com o estudo pronto, a deputada vai pedirá recursos para a dragagem que vai aumentar a profundidade do canal, permitindo um maior tráfego de embarcações. “O meu mandato de deputada é suprapartidário. Meu interesse não é em favorecer a direita ou esquerda, e sim beneficiar os paranaenses. Esse porto é muito importante para Antonina e, consequentemente, para o nosso estado”, avaliou a congressista.

As operações no terminal foram interrompidas na semana passada. Os bancos de areia formados na região impedem a passagem das embarcações. O governo federal alega que falta a solicitação formal para realizar a dragagem, que é a retirada de sedimentos da água que vai aumentar a profundidade do canal e permitir o tráfego até o porto.

“Este é um problema que afeta diretamente a economia do Estado do Paraná e o município de Antonina, pois a maior geração de emprego da cidade provém da área portuária, de onde cerca de 1000 antoninenses tiram o próprio sustento”, concluiu Yared.

Um dos mais importantes portos do Paraná, o terminal de Antonina registra recordes consecutivos de movimentação de cargas. No primeiro trimestre de 2017, aumentou em 15% o fluxo de mercadorias em relação ao mesmo período de 2016. Entre janeiro e março deste ano, 341 mil toneladas passaram por Antonina. A descarga de fertilizantes é o maior responsável por esse volume. O terminal gera cerca de 1000 empregos diretos e indiretos.

Na próxima semana a deputada terá reunião com o ministro Maurício Quintela e com os técnicos do Ministério dos Transportes para formalizar uma data final para elaboração do projeto de lei que vai incluir o valor necessário para a obra no orçamento da União.

Fonte: Jornal dos Bairros Litoral